A Prefeitura de Maringá abriu processo de licitação para contratar empresa que será responsável pela varrição do centro e outros seis bairros de
Maringá.

A licitação na modalidade registro de preço no valor máximo de R$ 9.359.804,09 prevê a realização de varrição manual e mecânica, com a empresa vencedora responsável por todo o serviço, as máquinas e a destinação final dos resíduos para local licenciado por um ano.

Serão atendidas as zonas 1 (centro), 2, 3, 4, 5, 6 e 7 com varrição das calçadas e meio-fio. São 35,6 mil km de varrição mecanizada a R$ 1,7 milhão, mais 10,5 mil km de varrição manual a R$ 2 milhões e mais 29 milhões de m² de varrição em praças ao custo de R$ 5,5 milhões.

O edital exige que a varrição seja feita manualmente de segunda a sábado das 19 às 5 horas na área central, incluindo as praças e três vezes por semana nos demais bairros atendidos. As praças da área central também serão varridas seis dias por semana. Prevê ainda que em casos excepcionais o serviço será solicitado aos domingos e feriados.

Os envelopes com os documentos de habilitação das empresas interessadas e as propostas de preços devem ser entregues até o dia 22 de fevereiro às 9 horas na Diretoria de Licitação no segundo andar do Paço Municipal, quando será iniciado o processo de licitação com a abertura dos envelopes.

O edital está disponível no Portal da Transparência no site da Prefeitura de Maringá.
O secretário de Serviços Públicos, Vagner de Oliveira, afirma que a intenção é atender solicitações da população que cobra melhoria no serviço de varrição.

“Sempre nos reunimos com a população para tomar decisões”, explicou.

Com o apoio de uma empresa que ficará responsável pela área central e parte da cidade, a intenção é ampliar o atendimento. Segundo Oliveira hoje são cerca de 50 servidores e quatro varredeiras mecânicas no serviço. “Uma equipe pequena para atender toda a cidade”.

Com a terceirização esse pessoal vai realizar o serviço em outros bairros, ampliando o atendimento. “A equipe hoje é pequena e só atende a área central. Fizemos estudos e chegamos a conclusão que licitando equipe terceirizada podemos atender todos os bairros esporadicamente”.

Fonte: O Diario