Expectativa é a de que texto seja aprovado nesta terça (1º) e siga no mesmo dia para o plenário

A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado abriu a sessão desta terça-feira (1º) para votar a reforma da Previdência. A análise do texto deve se estender até o começo da tarde.

O governo terá que derrubar a articulação da oposição para retirar mais trechos da proposta na votação na CCJ.

Após a votação do texto principal, devem ser analisados os destaques – instrumentos que permitem que artigos específicos sejam votados separadamente.

A oposição quer, por exemplo, aliviar as regras para que um trabalhador receba o abono salarial, uma espécie de 14º salário pago pelo governo a pessoas de baixa tenda e com carteira assinada.

O PT apresentou um voto à PEC (Proposta de Emenda à Constituição) das regras de aposentadorias para concorrer com o relatório do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). Isso é parte da estratégia da oposição para atrasar a votação do projeto.

Há um acordo para que sejam analisados de seis a oito destaques na CCJ. Após essa fase, a reforma da Previdência segue, ainda nesta terça, para o plenário do Senado.

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), espera que a sessão do plenário comece por volta de 16h. Ainda não há acordo para número máximo de destaques na votação em plenário.
Fonte: Folha de S.Paulo