O Globo – 19/11/2019

O presidente Jair Bolsonaro afirmou ontem ter determinado que a reforma administrativa seja a “mais suave possível”. Mais cedo, Bolsonaro comentou que não entende a “pressa” pela proposta — que deve mudar o sistema de carreiras e as regras para promoção no serviço público —, mas adiantou que o texto deverá ser entregue a ele hoje pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

— Amanhã (hoje) tem reunião cedo, a previsão é entregar, pode ser que entregue amanhã, tem que dar uma olhada. Conversei com o Paulo Guedes hoje (ontem) à tarde de novo. Quero mandar uma proposta a mais suave possível, essa é a ideia — disse o presidente, no início da noite.

Pela manhã, Bolsonaro defendeu que a proposta deve ser enviada ao Congresso em um momento que cause o menor atrito possível. E afirmou que aguardava uma melhora no clima político.

— Para que tanta pressa? Não tô entendendo — comentou Bolsonaro.

O presidente vem adiando o envio da proposta para o Congresso há três semanas. A ideia inicial era que ela fosse entregue em conjunto com o pacote de medidas econômicas no último dia 5. No último domingo, ao chegar ao Palácio da Alvorada, Bolsonaro disse que a reforma pode demorar “um pouquinho mais” .

Na terça-feira passada, após se reunir com líderes da Câmara pra apresentar as linhas gerais da reforma administrativa, Guedes disse que espera um “clima de cooperação” com o Congresso para tocar os projetos da nova pauta econômica.